Sábado, Abril 29, 2017
Clique aqui

COMBATE A DENGUE

 

Programa de Combate a Dengue funciona no prédio da Secretaria de Saúde localizada na Av. Vera Cruz, 689 no Bairro São Francisco. Fone: (81) 3701.1400 / 3701.1424 / 3701.1423 - Fone Denúncia Dengue 0800.281.3522 Horário de Atendimento: 07:00 às 17:00 horas

Missão:

* Viabilizar, desenvolver e garantir o cumprimento das políticas de saúde, através de ações de prevenção e controle do mosquito Aedes aegypti no município.

Metas:

* Conhecer a distribuição e densidade do Aedes Aegypti no nosso município;

* Realizar ações para eliminação do vetor;

* Orientar ações que impeçam à proliferação do vetor;

* Levantar índices de infestação amostral.

* Realizar pesquisas larvárias em pontos estratégicos.

* Realizar atividades educativas junto à comunidade.

* Inspecionar armadilhas.

O que é a Dengue:

A dengue é uma doença infecciosa causada por um vírus (flavivírus), e transmitida ao homem por um mosquito chamado Aedes Aegypti. A dengue é um dos principais problemas de saúde pública no mundo.

O mosquito transmissor da dengue, o Aedes aegypti, encontrou no mundo moderno condições muito favoráveis para uma rápida expansão, pela urbanização acelerada que criou cidades com deficiências de abastecimento de água e de limpeza urbana; pela intensa utilização de materiais não-biodegradáveis, como recipientes descartáveis de plástico e vidro; e pelas mudanças climática.

A dengue é hoje, uma das doenças mais frequentes no Brasil, atingindo a população de todos os Estados, independentemente da classe social.

Existem 2 tipos de dengue:

1. Dengue Clássica

· Dor de cabeça, ao redor dos olhos, dores musculares e nas articulações;

· Febre

· Fraqueza, falta de apetite;

· Náuseas, vômitos;

· Manchas vermelhas na pele.

2. Dengue Hemorrágica

* Sangramento de gengivas e narinas;

* Fezes escuras, o que indica a presença de sangue nas fezes;

* Pontos ou manchas vermelhas ou roxas na pela – petéquias;

* Dor abdominal intensa e contínua (dor de barriga);

* Vômitos freqüentes e tonteira;

* Diminuição da diurese (urina);

* Dificuldade para respirar.

Conheça o mosquito - Aedes Aegypti:

Este é o mosquito transmissor da dengue, o Aedes Aegypti. Ele é escuro e rajado de branco nas pernas e no corpo. Depois de adulto, o mosquito Aedes Aegypti, vive em média de 30 a 35 dias.

A fêmea do Aedes Aegypti põe ovos de 4 a 6 vezes durante sua vida. Ela coloca cerca de 100 ovos de cada vez, em locais com água limpa e parada.

Os ovos de Aedes Aegypti podem sobreviver até 450 dias (ou seja, aproximadamente 1 ano e 3 meses), mesmo que o local onde ele foi depositado fique seco. Se este local receber água novamente, o ovo volta a ficar ativo, a larva eclode, tranbsforma-se em pupa, e atinge a fase adulta em 2 a 3 dias.

O Aedes Aegypti costuma picar as pessoas durante o dia. Nas habitações, é encontrado normalmente em paredes, móveis, peças de roupas penduradas e mosquiteiros.

O mosquito transmite o vírus que causa a dengue. Esse virus se classifica em quatro tipos diferentes: DEN 1; DEN 2; DEN 3 e DEN 4. Se uma pessoa contrair a doença mais de uma vez, causadas por tipos de virus diferentes, aumentam as chances de desenvolver dengue hemorrágica.

Quando o mosquito portador do vírus pica uma pessoa sadia, passa este vírus para o sangue dessa pessoa. Depois de algum tempo, que varia de 3 a 15 dias, a doença começa a se manifestar. Quem contamina o homem é o mosquito fêmea,  pois ela precisa de uma substância do sangue (a albumina) para completar o processo de amadurecimento de seus ovos. O macho se alimenta apenas do nectar das plantas.

O tratamento da dengue:

Normalmente a dengue dura de 5 a 7 dias. Quem está com dengue deve ficar em repouso e beber muito líquido. As medicações utilizadas são analgésicos e antitérmicos, que controlam os sintomas como a dor e a febre.

Cuidado: A pessoa doente não pode tomar remédios à base de ácido acetil salicílico, uma vez que esta substância aumenta o risco de hemorragia. Os medicamentos recomendados deverão ser sempre prescritos pelo (a) médico (a).

É importante encaminhar os casos suspeitos para a unidade de saúde mais próxima.

PREVENÇÃO A DENGUE:

 

O mosquito Aedes Aegypti se utiliza de todo tipo de recipientes que as pessoas costumam usar nas atividades do dia a dia, que possam acumular água, tais como: garrafas e embalagens descartáveis; latas; pneus; entre outros. Estes recipientes geralmente são jogados a céu aberto, nos quintais das casas, em terrenos baldios e mesmo em lixões, porém em nosso Município, aproximadamente 80% dos focos estão nas caixas d'água, cisternas, tanques e outros recipientes usados para armazenamento de água. 

Para prevenir e controlar a dengue, a melhor maneira é impedir que o mosquito se prolifere, interrompendo seu ciclo de reprodução, ou seja, impedindo que os ovos sejam depositados em locais com água limpa e parada.

Não deixar acumular água em pratos de vasos e xaxins. Ao lavá-los passar pano, espoja ou bucha para eliminar completamente os ovos do mosquito;

Lavar os bebedouros da aves e animais com uma escova, esponja ou bucha e trocar a água pelo menos uma vez por semana.

Tampar as caixas d'água, cisternas, tanques etc., de modo que se evite que a femea do mosquito possa entrar por alguma fresta e depositar seus ovos.

ATENDIMENTO AOS PACIENTES COM SUSPEITA DE DENGUE:

A pessoa com suspeita de dengue deverá procurar qualquer Unidade Basica de Saúde ou Policlínica para atendimento médico.

A confirmação da doença é realizada através do exame do sangue que é solicitado e colhido na propria Unidade de saúde.

AJUDE A PREVENIR A DENGUE:

* Não deixar acumular água em pratos de vasos e xaxins. Ao lavá-los passar pano, espoja ou bucha para eliminar completamente os ovos do mosquito;

* Lavar os bebedouros da aves e animais com uma escova, esponja ou bucha e trocar a água pelo menos uma vez por semana.

* Limpar as calhas e a laje das casas, se tiver piscina, lembrar de que a água deve estar sempre tratada;

* Manter as caixas d'água, poços, latões e filtros bem fechados;

* Guardar garrafas vazias de boca para baixo;

* Eliminar a água acumulada em plantas como bambus, bananeiras, bromélias, gravatás, babosa, espada de São Jorge, entre outras;

* Guardar pneus em locais onde não sejam alcançados pela água das chuvas;

* Verificar nos terrenos baldios se existem pneus, latas ou qualquer outro objeto que possa acumular água;

* Identificar na vizinhança a existência de casas desocupadas e localizar os donos para verificar se existem criadouros do Aedes Aegypti

* Manter o lixo tampado;

* Tampar garrafas plásticas descartáveis, antes de jogá-las no lixo;

* Separar copos descartáveis, tampinhas de garrafas, latas, embalagens plásticas, enfim, tudo o que acumule água; colocar em saco plástico, fechar bem e jogar no lixo.

* Lembre-se: a acomodação e o destino do lixo é um problema que hoje atinge toda a população, tanto nas áreas urbanas quanto rurais.